Debate Sobre o Piso Salarial do Administrador

Debate Sobre o Piso Salarial do Administrador

Foi aprovada na última quarta-feira (27) na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara dos Deputados requerimento para debater em audiência pública o PL 6.954/2010, que dispõe sobre o piso salarial do administrador. A sugestão é da relatora da matéria deputada Flávia Morais (PDT-GO).

Segundo a proposta, de autoria do deputado Sandro Mabel (PR-GO), o piso salarial do administrador será de R$ 1.484,58 reajustado no mês de publicação da lei, e também anualmente, nos dois casos pela variação acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Em contraponto, a Federação Brasileira dos Administradores (Febrad), defende o piso salarial de R$ 2.917,00, cujo valor deverá ser corrigido, quando da publicação da lei, caso seja aprovado, tendo em vista que o empresariado, sabendo que a categoria tem Piso Salarial, dificulta muito mais nos acordos coletivos para aumenta-lo em termos de ganho real.

Segundo o Secretário Geral da Febrad,  Itamar R. Kunert, este valor foi definido com base em uma pesquisa realizada pela revista Voce S.A., de 2007,onde pegou vários segmentos econômicos  e produtivos no Brasil  informando a faixa salarial média no segmento dos profissionais liberais.  Depois de tudo pronto,  em uma assembleia no Espírito Santo, em meados de 2007, fizemos um trabalho com este banco de dados, conta Samuel,  e chegamos  à conclusão, “que deveríamos ter um Salário Referência pois naquele momento não tínhamos  Piso e aprovamos o valor de R$ 2.917,00 e continuamos defendendo que este é o valor ideal para uma profissão que vem ocupando um espaço significativo na questão da GESTÃO, tanto pública , como privada”. Esta também, será a tese de discussão e defesa na audiência pública que os representantes da entidade irão participar, pois acreditam que este valor demonstra hoje a realidade brasileira de um salário inicial justo ao Administrador.

Itamar R. Kunert , convoca todos os Administradores no Brasil, que envie email’s de apoio à fixação do piso de R$ 2.917,00,  e que todos compareçam à audiência pública para defender  este  valor como piso salarial. Ele adianta que se não for feita uma pressão rigorosa às autoridades, a categoria não conseguirá avançar, pois o empresariado fará de tudo  para manter o valor que o deputado e administrador Sandro Mabel vem propondo. “Temos que agradecer a ele e ao nosso colega Adm.Samuel Albernaz pela iniciativa, mas o valor nos temos que defender como FEBRAD, o que temos no mercado, contamos com todos nesta questão dentro da comissão no dia da audiência”, enfatiza, Kunert, salientando que, qualquer duvida é só entrar em nosso contato pelo (13) 8850.4769, Adm. Itamar R. Kunert Secretario Geral da FEBRAD, que esta encarregado de informar a toda Diretoria da FEBRAD e ao Presidente da FEBRAD Adm. Clovis Matoso Vilela Lima, o andamento deste projeto.

Segundo Mabel “é razoável seguir o valor de sua proposta, mesmo levando em conta que os valores sugeridos pela Febrad são maiores. Por se tratar de um valor mínimo, nada impede que empresas com maior capacidade econômica ultrapassem o patamar ou que negociação coletiva também o faça”.

Para fornecer informações, expor opiniões e responder aos questionamentos dos parlamentares estão confirmadas a presença da Federação Brasileira dos Administradores (FEBRAD) e do Conselho Federal de Administradores (CFA). As entidades encaminharam seus pedidos para participação no evento.

Tramitação

A matéria guarda parecer da relatora, deputada Flávia Morais (PDT-GO), na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) e ainda deverá ser examinada nas comissões de Finanças e Tributação (CFT) e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

As informações foram obtidas pela importante participação do DIAP, por solicitação da FEBRAD.

Próxima Postagem:
Postagem Anterior:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *